Círculo do Conselho

24 DE JULHO ÀS 14H VIA ZOOM 

Roda de fala e escuta a partir do coração, realizada a cada lua cheia, em conjunto com a sanga de Portugal, Togekko-ji, e em retiros. Considere fazer uma doação ao participar. Uma prática desenvolvida pela Ordem dos Pacificadores Zen Internacional (Zen Peacemakers International, ZPI), The Way of Concil, baseada em antigas cerimônias budistas e reuniões de conselho das nações indígenas ancestrais. Esta prática visa a estimular a fala e a escuta compassivas. Utilizando um conjunto de intenções e regras básicas, esta prática nos permite compartilhar e continuar o estudo de nós mesmos e testemunhar e acolher a alegria e tristeza do mundo que nos cerca.

O Círculo do Conselho é uma prática essencial para os Pacificadores Zen, junto com meditação, os Três Preceitos e ação social. O Círculo convida pessoas a se juntar em um espaço sagrado, para sintonizar com a verdade pessoal e coletiva de cada uma e com a terra e a natureza que participam do círculo.

O Conselho é orientado com base em um conjunto de diretrizes, um altar central e uma peça da fala que é passada entre as pessoas para indicar um fala individual. Desta forma, o Conselho enfatiza nossa prática de escuta profunda, dar testemunho e empatia. O Conselho foca nossa intenção e energia em histórias comuns, valores, medos e aspirações que nos fazem humanos. Ele nos lembra de que somos mais parecidos do que diferentes. Sobretudo, o Conselho é um receptáculo poderoso para vivenciar os Três Preceitos com outras pessoas, entrando no momento do círculo pelo Não Saber, pelo Dar Testemunho de si e de outros e pelo Agir a partir do coração.

As intenções do Conselho são:

  1. Ao escutar, escute a partir do coração, sem analisar, concordar ou discordar;
  2. Ao falar, fale a partir do coração, nomeando o que está vivo aqui e agora. O Silêncio é bem-vindo (se a pessoa não quiser falar, faz um gasshō🙏🏾 e permanece em silêncio);
  3. Tenha uma fala enxuta ao se expressar, indo à essência do que precisa ser dito;
  4. Espontaneidade, confiando no que vem ao invés do que se ensaiou ou do que se crê que deve ser dito;
  5. Confidencialidade, com profundo respeito pela privacidade e a transitoriedade do momento. As pessoas participantes não devem interagir umas com as outras ou com coisas que aconteçam durante o conselho. Também não devem compartilhar o conteúdo do conselho com outras pessoas. O que é dito no Conselho nasce e morre ali. Por isso, os encontros não são gravados.

Essas diretrizes não são regras, são práticas que nos convidam a apreciar o momento imediato do presente, a fé em nós mesmos e nos outros. Cada Conselho é aberto por uma invocação – os participantes convidam aquilo que cada um gostaria que o testemunhe e invocam um estado da mente. O Conselho é encerrado por uma dedicatória e uma prece.

O Conselho tem sido invocado ao redor do mundo e durante todos os retiros dos Pacificadores Zen, retiros de rua e imersões.

Encontros pelo Zoom

Durante a pandemia de COVID-19, todas as práticas acontecem virtualmente pela plataforma Zoom. Caso necessite instalar o aplicativo em seu computador, clique aqui, ou vá à loja de aplicativos do seu dispositivo móvel.